Luxury Drinks

No mundo do vinho 15 ou 20 anos não são grande coisa, muito menos para construir uma marca com impacto mundial, mas por vezes uma colheita e suficiente para chegar ao estatuto de lenda. O vinho Pingus e um exemplo de um fenómeno assim!

Em 1995 Peter Sisseck adquire 5 hectares de vinhas muito velhas de Tempranillo e funda a adega, na província de Burgos, em plena Ribera del Duero.

0 resultado e um tinto extraordinário, concentrado, potente, com fruta muito madura, mas sempre com um equilíbrio impressionante e uma elegância e suavidade inigualável.

As raízes das vinhas velhas espalham-se pelo chão e conseguem extrair da terra as componentes que lhe conferem grande complexidade e profundidade, mantendo o balanço entre o álcool e a acidez, mas acima de tudo, a sua textura sedosa.

Psi

É chamado assim por causa da 23ª letra do alfabeto grego. Um vinho 100% tempranillo com uma cor densa escura com aromas de frutos vermelhos e com uma doçura leve e especiarias.

É um vinho muito intenso e poderoso, com grande acidez, de notável pureza, profundo e complexo. Um bouquet enrolado com amora fresca, mirtilo, e essência de baunilha.

No palato é muito bem definido e ligeiramente fino. É natural e fresco com notas balsâmicas e de frutos silvestres no final.

Artboard 1-16

14

14-16º

100% Tempranillo

Pratos de carne vermelha, como cabrito

Flor de Pingus

É segunda linha de Domínio de Pingus, sendo um vinho 100% tempranillo e que, desde 2005, a viticultura também é biodinâmica.

De um azulado escuro, no nariz apresenta notas de carvalho tostado e amêndoas amargas, bem como mirtilos e amoras com uma pitada de rosa, carne grelhada e notas de madeira carbonizada.

Na boca temos densos, doces e intensos aromas de frutos com grandes quantidades de taninos de calibre fino e bons ácidos.

Artboard 1-18

14,8

14-16º

100% Tempranillo

Pratos de carne vermelha, como cabrito

Pingus

O principal vinho de Domínio de Pingus, é um vinho 100% tempranillo, e que, desde o ano 2000, a sua viticultura tem sido biodinâmica.

Em anos em que a colheita não é excecional não se produz, tendo uma produção anual média de 500 caixas.

O vintage de 2004 foi o primeiro a atingir os famosos 100 pontos Robert Parker, com uma produção de apenas 6.000 garrafas, repetindo o feito nos vintages de 2012 e de 2014.

Artboard 1-17

14,8

14-16º

100% Tempranillo

Pratos de carne vermelha, como cabrito